quarta-feira, 17 de março de 2010

Mêda ... só um cheirinho




Por vezes batem as saudades e toca de os massacrar com imagens da minha terra.
Não me levem a mal.


Ficam visíveis algumas imagens.


video

2 comentários:

  1. Caro Amigo Lusitano


    Relembrar o muro do tribunal onde sentei por centenas de vezes e algumas fazendo companhia ao saudoso dr.Godinho que já velhinho e olhando para sua genitália dizia:" há puta,quando era novo davas-me cabo da carteira agora dás-me cabo das botas".
    A capela do Sr.Bom Jesus onde fiz a minha primeira promessa para passar de ano e que vim a pagar muitos anos depois com juros e correção monetária.
    A altaneira e imponente Av. Gago Coutinho e Sacadura Cabral que a gente sente orgulho de ser nossa. O Morro do Castelo onde atrevessar a cova da raposa era a nossa afirmação de machismo e quantas chouriças da mãe do Álvaro ali foram devoradas e alguns litros de vinho do sr.António Moreiró foram bebidos.E tudo o que apareceu em toda a tua boa realização Lusitano. Não ficas massante e chato não, manda sempre e manda mais. É tão bom recordar, embora seja sinal que estamos descendo, 65 já cá cantam. Parabéns pela música de fundo, fenomenal.

    Um abração

    Luís Filipe

    ResponderEliminar
  2. Caríssimo Luís Filipe !
    De vez em quando dá-me para lamechices e recordações da nossa terrinha, tantas vezes mal tratada por "iluminados" que por lá aparecem.
    Fizeste-me lembrar o Dr. Godinho que tão bem conheci e com quem convivi.
    Talvez desconheças ( eras muito pequenino ) que era um dos amigalhaços do meu Padrinho Sr." Lulusitaaano Roooquee ".
    Era eu pequenote, mas lembro bem as tertúlias deles na Quinta da Senhora das Tábuas, onde se deleitavam com a passarada que mantinham em cativeiro, mas bem tratada e cuidada.
    Mais tarde, já eu estudante, era no Registo Civil que eu matracava a máquina de escrever.
    Sentados no banco do jardim do velho Tribunal, quando vinha o Ajudante pedir-lhe mais uma assinatura para uma qualquer certidão, respondia ..."hoje já esgotei as assinaturas, portanto fica para amanhã". E continuávamos a conversa, por instantes, interrompida.
    Se bem me lembro ele morava na tua rua, pelo que naturalmente também o tens bem presente.
    Qualquer dia teremos que escrever sobre os "típicos" que conhecemos na nossa adolescência.
    Tantas e variadas personagens que nos marcaram, nesses tempos... O Chico Comprido, o Zé Morrão, o João Abreu, o Américo Polícia, o Anjo Mau, o Duarte Brandão, os Carvalhos, os Vasques ...
    Foram tantos !
    Espero que contribuas para me enriqueceres a memória.
    Aquele abraço

    ResponderEliminar